FacebookYoutubePartilharRSS
Área Reservada
Caminhando

Caminho de Fátima: Gondomar – Lourosa – Bemposta

No dia 13 de Maio de 2017, sábado, pelas 6h30, dia da chegada do Papa Francisco para celebrar o Centenário da primeira Aparição de N.ª S.ª de Fátima, juntaram-se mais de meia centena de AMUT’eiros, para iniciar a sua peregrinação pelo Caminho de Fátima.

O espírito peregrino já estava presente entre os peregrinos sendo que alguns, a partir do 8 de maio, começaram a preparar-se para as etapas de cerca de 30km que se avizinhavam para os dias 13 e 14 de maio, aquecendo os músculos e os pulmões diariamente, em pequenos percursos de cerca de 7 km, pelas ruas e ruelas de Gondomar.

No dia 11 de maio, à noite, e no dia 12 de maio, à tarde, grande parte dos peregrinos aceitaram o desafio da AMUT de antecipar os primeiros 8 km da etapa do dia seguinte, entre a Igreja dos Capuchinhos e a Sé do Porto. Ambos os grupos foram brindados com belas e imponentes chuvadas. Embora o cenário fosse bem conhecido de todos, não deixou de a todos deslumbrar: é assim a cidade do Porto, de noite e de dia!!!

No sábado, 13 de maio, o encontro ficou marcado para a Igreja dos Capuchinhos, para que todos os peregrinos pudessem receber a Bênção em simultâneo. O fervilhar pelo desejo de iniciar os caminhos estava estampado no rosto de todos. Após a distribuição dos “presentes” aos participantes - T’shirt, Lenço e manual para as duas primeiras etapas -, fomos acolhidos na Igreja pelo Frei Júlio, que pediu auxílio ao nosso querido AMUT`eiro peregrino Luís Gil, na missão de abençoar a partida para o percurso rumo a Fátima.

Os AMUT´eiros deslocaram-se, então, até à Sé do Porto, onde todos os participantes se agruparam para a primeira foto de grupo da peregrinação AMUT’Fátima 2017.

Era o momento tão ansiado da partida para a aventura pelos caminhos marcados pelas setas azuis (sendo, em sentido contrário, o Caminho de Lisboa a Santiago de Compostela em direção contraria) até à Capelinha das Aparições e a N.ª S.ª de Fátima. Este Caminho é mais longo do que o tradicionalmente seguido pela Estrada Nacional, mas, sem qualquer dúvida, infinitamente mais belo e, desejamos, mais seguro, já que foge aos locais de trânsito mais intenso, passando por aldeias, campos, florestas e matas.

O Caminho, para este primeiro dia, começou com a atrativa travessia do Rio Douro através do tabuleiro superior da Ponte Luís I, seguindo as setas azuis espalhadas cuidadosamente ao longo do percurso.

Os peregrinos espalhavam-se ao longo da infindável (para quem a percorre na totalidade a pé) Avenida da República, de Vila Nova de Gaia, que liga a Ponte a Santo Ovídio. De olhos postos na estrada, atentos às indicações e a bom ritmo, os AMUT’eiros rapidamente chegaram à Rechousa, completando 6,5 km. Chegamos entretanto à primeira subida imponente, que deixou muitos boquiabertos, dada a sua inclinação, mais parecendo uma parede para escalada do que para caminhada. Logo de seguida, o Caminho sai da estrada e entra numa bela floresta, de várias tonalidades de verde, com apontamentos de pequenas flores amarelas, vermelhas, roxas… uma via romana assiste aos pés dos peregrinos a passar e chega-se, então, ao Perosinho, onde se aproveita para uma pequena pausa técnica e café. O pelotão da frente, que já havia alcançado o Mosteiro de Grijó, pelas 11h00, a tempo ainda muito precoce para almoçar, segue caminho… enquanto a maioria só chega ali pelas 12h30 e aproveita para almoçar e para um descanso mais longo.

Faltavam cerca de 8 km para concluir a primeira etapa em Lourosa, no Largo da Feira dos Dez. Mas o tempo de paragem, que arrefeceu os músculos, somado à digestão dos manjares, deixava os corpos mais molengões e as pernas mais pesadas.

Uma das belezas da família AMUT’eira manifesta-se na forma de viver os Caminhos: a forma entusiasta como os primeiros a chegar se alegram e celebram a chegada de quem tem mais dificuldades e só termina em último.

O regresso a Gondomar, no autocarro da Câmara Municipal de Gondomar, seguramente conduzido pelo Sr. Germano Andrade, a quem a AMUT agradece a disponibilidade e apoio.

Bem hajam, pela alegria, convívio, partilha e tolerância. Obrigado!

Domingo, dia 14 de maio de 2017, os relógios ainda não marcavam 6h30 e já a maioria dos AMUT`eiros estavam concentrados junto à Câmara Municipal de Gondomar, prontinhos a dar continuidade ao compromisso assumido: a segunda etapa dos caminhos de Fátima, desde Lourosa até Pinheiro da Bemposta. Contrariamente ao profetizado pelo Sr. Germano Andrade, ao ver o andar sofrido dos peregrinos ao descer do autocarro na véspera, todos voltaram a comparecer, de espírito aberto e alegre, desejosos de retomarem o Caminho.

A viagem até à feira dos Dez em Lourosa foi curta, e mal o autocarro parou, rapidamente ficou vazio, tal era a vontade de começar a caminhar. A ansiedade ainda se conteve para a foto de grupo, frente à igreja e para cantar os Parabéns aos AMUT`eiros Ângela Pereira, Jorge Soares e Rosária Sousa, pela celebração de mais um aniversário. E que bem que todos cantaram àquela hora da manhã!!!  

Iniciámos a etapa, onde alguns ainda aproveitaram para tomar o pequeno-almoço antes da partida, embora a maioria tenha optado por iniciar o Caminho, na expectativa de outras ofertas mais adiante, já com os músculos mais aquecidos.

O próximo ponto de encontro estava marcado para S. João da Madeira, percorrendo estradas secundárias, caminhos com pequenos aglomerados de casas e carreiros por entre vegetação, e fomos avançando e encurtando a distância, até finalmente atingirmos o centro da cidade, onde muitos companheiros já tinham terminado a reposição dos “sais minerais” e partiram para não arrefecerem.

Estávamos a cerca de 9 km de Oliveira de Azeméis, local previsto para almoçar e onde fomos abençoados com chuva. Confortados por uma refeição e o corpo a começar a acusar o esforço despendido, logo veio à memória o caminho ainda por percorrer e, pés à estrada, que o relógio não abranda.

Entramos então na parte deste percurso de maior dificuldade. As subidas sucediam-se ao ritmo do aparecimento da fadiga e da ansiedade de terminar… restava o consolo da paisagem, mais rural, decorada pelas casas de arquitetura tradicional, algumas em estado de abandono e degradação, deixando algum amargo de alma.

Uma carga de água fez apressar o passo através da longa Rua D. Manuel I até uma cobertura, onde já estavam alguns dos nossos peregrinos a confraternizar com a Comissão de Festas de S. Sebastião, com comida, bebidas e cânticos. Foi hora de voltar a serem ouvidos os parabéns aos aniversariantes.

Entretanto, já não chovia e o estômago não reclamava e a informação de que faltava apenas 1,5 km, quase sempre a descer, levantou o ânimo dos caminheiros, trazendo uma alegria incrível, até parecia que lhes tinham nascido asas nos pés. A chegada, feita em bloco como se de um pelotão se tratasse, foi aplaudido pelos companheiros que pacientemente nos esperavam.

Restava a viagem de autocarro até a Gondomar, que aconteceu sem problemas, onde chegamos à Câmara perto das 20h15.

O próximo episódio fica agendado para os dias 10 e 11 de junho, para as 3ª e 4ª etapas - Pinheiro da Bemposta – Águeda – Mealhada -, onde iremos completar, nesses dois dias, mais 52km do Caminho.

Até lá aconselhamos todos a aproveitar uns bons passeios a pé, de pelo menos 1h00, duas a três vezes por semana, para o corpo e a mente retribuirem generosamente.

Parabéns a todos os AMUT’eiros! somos uma família magnífica!