FacebookYoutubePartilharRSS
Área Reservada
Caminhando

III - Trilho do Barreiro a Lamas Ôlo

Pelas 6h50, numa uma bela manhã primaveril, os 55 AMUT’eiros rumaram no autocarro para a idílica Barragem do Barreiro (também conhecida por Barragem da Cimeira) situada entre as aldeias de Relva e Lamas de Ôlo, Vila Real.

A viagem decorreu rapidamente através da A41 até à saída Vila Real Norte, onde entramos numa estrada estreita e de “infinitas” curvas. Chegamos a Relva, onde paramos no Café Encosta, para um retemperador pequeno-almoço.

Revigorados, retomamos, de transporte, o caminho até ao ponto de partida do nosso percurso (BARRAGEM DO BARREIRO), situado entre as cotas superiores a 1000 metros de altitude, onde chegamos perto das 9h30.

Iniciamos a marcha entre as barragens, Cimeira (grande) e Fundeira (pequena), percurso com cerca de 13Km, com um grau de dificuldade médio, percorrido em piso misto, carreiros e troços de estrada alcatroada.

Nesta altura do ano, o Parque do Alvão apresenta várias tonalidades de castanho da vegetação inverneira, os cinzentos dos granitos que se espalham pelas montanhas rochosas e os brilhos dos muitos cursos de água, que nos acompanharam durante todo o trajecto.

No alto da serra, despida de vegetação, podemos avistar o monte da Senhora da Graça, lugar que faz parte da prova mais importante de ciclismo nacional, a Volta a Portugal!!!

Chegamos à aldeia de Barreiro, um pequeno casario de granito, parte em ruinas, com espigueiros de vários tamanhos, apenas com 14 habitantes.

Pés ao caminho, sempre com muita alegria, seguimos então por estrada, até à aldeia de Lamas de Ôlo, um misto de casas antigas e uma arquitectura mais recente, mas, maioritariamente de granito. À entrada, deparámo-nos com uma pequena Igreja/Cemitério e, caminhando calçada acima, confraternizámos um pouco com uma manada de vacas guiadas pela sua guia, de vara na mão!

Os sentidos estavam praticamente saciados: a visão, com o espetáculo da imensidão granítica, o olfato, com a flora de tons castanhos, verdes, amarelados, próprios do despontar da Primavera (os odores ondulavam no ar, causados pela temperatura e pelas brisas suaves e divinais), a audição, embalada pelo chilriar das aves em crescente actividade e o tilintar dos caneiros de água por entre as rochas.

Após este festim primaveril, retomamos o autocarro para satisfazer as pupilas gustativas, voltando ao local onde tínhamos tomado o pequeno-almoço, no Café Encosta, na aldeia de Relva para, agora, nos deliciarmos com um maravilhoso almoço.

Finda a aventura gastronómica, regressamos ao ponto de partida (Câmara Municipal de Gondomar) onde chegámos pelas 18h30, com muita satisfação de um dia bem passado, saudável e retemperador, promovido pela AMUT!!!

A próxima aventura serão os Caminhos de Santiago a Finisterra, entre os dias 01 e 05 de Abril 2015.