FacebookYoutubePartilharRSS
Área Reservada
Caminhando

VI - Trilho da Misarela

6h30 da manhã, hora da saída do autocarro com os 64 AMUT’eiros rumo ao concelho de Montalegre, freguesia do Ferral, lugar de Vila Nova. A viagem correu calmamente até pouco menos de 800m do ponto de chegada em que o nosso meio de transporte com cerca de 14m de comprimento chegou à Ponte de acesso à aldeia… O ângulo da curva de entrada para a ponte parecia intransponível. Mas com a ajuda de alguns caminheiros especialistas, paciência e perícia do motorista, lá foi possível ao nosso autocarro chegar ao destino, onde nos aguardava o Presidente da Associação Amigos de Vila Nova, António Brás e os sábios guias José e Francisco.

Após um pequeno-almoço aconchegante, iniciamos o percurso junto ao campo de jogos, atravessando, o caminho medieval, o casario da aldeia de Vila Nova, iniciando então uma subida que o calor abrasador que se fazia sentir tornou mais íngreme do que na realidade é a todos os participantes. A dificuldade da subida ia sendo mais que compensada com a beleza das paisagens panorâmicas magníficas sobre o vale do Rio Cávado que nos fizeram sentir bem pequeninos perante a imensidão e a beleza do que os nossos olhos alcançavam.

Seguimos em direção ao lugar de Viveiro, atravessando campos agrícolas, lameiros e impressionantes bosques de Carvalhos. Em todo o percurso, guiados pelo José na frente e pelo Francisco no final grupo, fomos presenteados com os seus conhecimentos sobre as propriedades medicinais das múltiplas plantas que íamos encontrando pelo caminho: as que curam a febre, as que quebram pedras dos rins, as que tiram a sede…

Já mirando o vale do Rio Rabagão, o trilho seguiu retornando à velha calçada medieval levando os AMUT’eiros até ao lugar mais esperado do dia: A Ponte da Misarela e as àguas cristalinas e gélidas do Rabagão. Que alegria, que frescor!

Os corajosos atiraram-se de cabeça e deliciaram-se na Lagoa e debaixo do “chuveiro” natural da Cascata que ali esperava os mais intrépidos. Após o banho seguiu-se o churrasco proposto pela Associação Amigos de Vila Nova que deliciou os caminheiros depois de cerca de 10km de percurso debaixo do Sol tórrido e do banho regenerador.

A ponte da Misarela ou “Ponte do Diabo” foi construída num local de beleza admirável, e é famosa por diversos motivos, historicamente por ter sido o local onde numerosas forças napoleónicas foram acossadas, em 1809, às mãos de 800 paisanos barrosões. Também se associa uma lenda, o povo começou a acreditavaque lá se faziam milagres e os casais que não conseguiam vingar os filhos, iam para a ponte antes da meia-noite, acendiam uma fogueira e esperavam até passar a primeira pessoa para lhe baptizar o filho no ventre materno. Quando aparecesse alguém que quisesse batizar o filho, o padrinho ou a madrinha colhiam água debaixo da ponte e celebravam o batizado dizendo: “Eu te batizo criatura de Deus, pelo poder de Deus e da Virgem Maria. Se fores rapaz serás Gervaz(io), se fores rapariga Senhorinha.” Será que a lenda tem um fundo de verdade? Não se sabe! A verdade é que em Barroso há muitos Gervásios e muitas Senhorinhas.

Após o almoço ainda houve tempo para um mergulho na Piscina da Sede da Associação, onde terminou o trilho pedestre e este dia de incrível beleza natural, de convívio e de partilha de bons momentos.

A sabedoria infinita dos nossos guias sobre a fauna e a flora local, o cuidado da Associação dos Amigos de Vila Nova com o bem-estar dos AMUT’eiros, deixou-nos, a todos, maravilhados e com vontade de regressar a esta terra de gente que sabe acolher.

A Direção e os AMUT’eiros agradecem à Associação Amigos de Vila Nova pela forma maravilhosa e carinhosa como nos receberam.

Obrigado! Bem hajam!