FacebookYoutubePartilharRSS
Área Reservada
Caminhando

XI Trilho de Montemuro

21/09-2013

Serra de Montemuro

 

Pouco passava das 6h30 da manhã quando os AMUTeiros (caminheiros), partiram de Gondomar em Direção a Gosende, concelho de Castro Daire. O último dia do verão e dia de aniversário da nossa companheira AMUTeira Ariana Rego, amanheceu quente, lembrando um clima quase tropical. Aquela hora o termómetro apontava uns agradáveis 23.ºC.

O nosso guia, Paulo Bernardo,, a quem a AMUT agradece toda a disponibilidade, tinha um percurso planeado que nos levaria a conhecer belíssimos lugares.

A primeira paragem estratégica para o tradicional e indispensável café aconteceu em Vila Real, onde as pastelarias tradicionais serviram bolos acabadinhos de sair do forno. Houve quem queimasse a língua. Ai a gula!

Partimos para o nosso destino, onde chegamos pelas 9h30, a capela de S. Cristóvão, onde nos aguardavam um jovem pastor com as suas ovelhas e os seus 3 cães castro Laboreiro. A vista panorâmica, neste local, sobre a Serra de Montemuro e a Serra de Bigorne é absolutamente deslumbrante..

Após a tradicional fotografia de grupo e de cantarmos os parabéns à Ariana pela segunda vez, seguimos até ao lugar de Rossão, a aldeia da piscina, para começarmos a nossa caminhada. Após uns breves 3 km, entramos na aldeia de Campo Benfeito, freguesia de Gosende, onde visitamos as “Capuchinhas” que esperavam a nossa visita. Apresentaram-nos a forma tradicional e, simultaneamente, inovadora, de trabalhar o linho e o burel. Alguns aproveitaram para comprar alguns dos produtos expostos.

Seguimos a nossa caminhada em direção a Gosende, percorrendo caminhos rurais e lameiros, avistando flores, e mais flores, vacas, cães, sapos, cabras, ovelhas, burros e paisagens maravilhosas, embora em alguns lugares, infelizmente devastados, recentemente, pelos incêndios… Comeram-se muitas amoras que coloriam o caminho. E, embora o dia estivesse quente, o vento refrescava-nos.

Chegando a Gosende, seguimos para Gosendinho, onde, junto ao rio Balsemão, à sombrinha dos carvalhos, decorreu o tão desejado e sumptuosamente guarnecido pic-nic.

Após um repouso bem agradável, fomos tomar um cafezinho ao Mezio e cantamos os parabéns à Ariana. Retomamos a nossa caminhada, seguindo o Caminho Interior de Santiago até ao lugar de Moura Morta.

O calor era abrasador, o vento tinha fugido para outros lugares, e o mecanismo de rega de um campo foi uma bênção que os caminheiros não desperdiçaram para se refrescar. O autocarro aguardava-nos para nos levar à Festa das Colheitas em Castro Daire. Pelo caminho, aproveitamos e cantamos os parabéns às Ariana!

A festa das colheitas pareceu a todos uma espécie de oásis, tão boa foi a receção dada pela Câmara de Castro Daire. Assistimos à confeção tradicional da broa, alguns meteram as mãos no barro e na roda do oleiro, outros tentaram, em vão, fiar o linho com o fuso. Os AMUTeiros puderam provar o presunto da região, o redenho, a broa, o “bolo” de sardinha, de toucinho, o vinho tinto tirado diretamente da pipa… Que maravilha! Todos ficaram felizes e satisfeitos, ficando aqui o sentido agradecimento à Câmara de Castro Daire e um bem haja!

Regressamos a Gondomar, pelas Portas de Montemuro, sem nos esquecer de cantar os parabéns à Ariana que, em sinal de agradecimento por tanta cantoria ao longo do dia, cantou para nós e nos encantou com a sua belíssima voz.

Todos chegaram cansados mas satisfeitos com um dia magnífico de exercício físico, partilha, convívio e muita alegria.